16 de nov de 2012

HISTOLOGIA ANIMAL (001) – CARACTERÍSTICAS DO TECIDO EPITELIAL

Denominamos histologia o ramo da biologia que estuda os tecidos, ou seja, os conjuntos celulares com funções e atuação especializada em um organismo.

De uma forma global, os tecidos animais são divididos em quatro grandes grupos: epitelial, conjuntivo, nervoso e muscular.

Características do Tecido Epitelial

As células epiteliais são unidas com grande firmeza, conferindo resistência à unidade tecidual, onde observa-se pouca quantidade de substâncias em seus espaços intersticiais.
Como principais funções dos epitélios, temos:
- revestir e proteger as superfícies e cavidades dos organismos;
- absorver nutrientes em nível intestinal e sanguíneo;
- facilitar a difusão dos gases (troca gasosa);
- secretar substâncias.
Para os seres humanos, a origem embrionária dos principais epitélios é dada pelo quadro a seguir:


Células Epiteliais

As células epiteliais podem variar quanto ao tamanho e a forma, o que resulta em uma grande gama de tipos de epitélio encontrados nos organismos.
Os três principais formatos apresentados pelas células dos epitélios são:
- achatado ou pavimentoso;
- cúbico;
- prismático ou alongado.
No epitélio intestinal, as células são dotadas de projeções da membrana plasmática capazes de ampliar a superfície de contado da face voltada à luz intestinal, o que, consequentemente, aumenta a capacidade de absorção de nutrientes.
Já na traqueia, a face voltada á luz é caracterizada pela grande quantidade de cílios, que – com auxílio do muco – são capazes de barrar estruturas presentes no ar e capazes de causar danos ao alcançarem os brônquios bronquíolos e alvéolos.
Entre as células epiteliais podemos encontrar o complexo unitivo, ou junção celular.
Esta forma de ligação entre as células é importante para evitar a passagem de substâncias indesejáveis, e manter a unidade e a resistência do tecido.
As maneiras de união mais comuns encontradas nas junções celulares são:
- desmossomos – união por filamentos proteicos que trespassam a membrana e são ancorados em placas de placoglobinas e desmoplaquinas (proteínas transmembranas);
- zonas de adesão – união por pequenos filamentos da proteína denominada caderina, originada em corredores de actina e miosina encontrados na face interna das membranas plasmáticas;
- zonas de oclusão – união resistente realizada por proteínas conhecidas como claudinas e ocludinas, que impedem a passagem de substâncias.


Abaixo das células epiteliais encontra-se a lâmina basal - uma massa densa de colágeno e glicoproteínas -, que ancora o tecido epitelial.


Mande suas dúvidas e sugestões por:


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário