13 de nov de 2011

ÁGUA (006) - TRATAMENTO DO ESGOTO


Toda a água que utilizamos - seja para afazeres domésticos, para higiene pessoal ou para outras necessidades diárias – é encaminhada por uma rede coletora específica, sem contato com a rede de distribuição que nos abastece.
Esta água já utilizada, ou esgoto, acumula grande quantidade de matéria orgânica, resíduos químicos e sujeira, o que lhe torna inadequada para o retorno aos cursos d’água.
Em 1914, na Inglaterra, foi desenvolvido um método de tratamento de esgoto utilizado por uma grande quantidade de cidades em todo o mundo.
Este método consiste no consumo da matéria orgânica contaminante por bactérias aeróbias (dependentes do oxigênio), resultando convertendo os resíduos em um lodo espesso que pode ser facilmente separado da água e levado a aterros sanitários.
Comumente somam-se ao método dois processos que retiram a areia e partículas maiores de sujeira.


Atualmente, no Brasil, aproximadamente 27% do esgoto recebe tratamento. Os demais 73% são despejados diretamente nos cursos d’água poluindo-os e destruindo seu ecossistema.
Como agravante, quase metade da população brasileira não tem acesso às redes coletoras, o que pode acarretar graves problemas ecológicos e de saúde pública.
Para amenizar o problema dos esgotos já existem casas ecologicamente corretas, que estocam água da chuva e reutilizam a água de algumas tarefas domésticas para os vasos sanitários, por exemplo.
Além disso, algumas atitudes simples podem evitar grandes danos à natureza, como o hábito de não jogar óleo usado nos ralos de pias.

Dúvidas e sugestões: professorthiagorenno@gmail.com
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário