28 de jul de 2011

SOLO (003) – USO INADEQUADO DO SOLO


Uma grande quantidade de produtos que utilizamos em nosso cotidiano tem origem da agricultura e para tanto necessitamos de um solo saudável, que proporcione produtividade sem danos ambientais.
Na produção agrícola mundial podemos encontrar uma grande quantidade de técnicas de cultivo em uso.
Muitas delas são inadequadas, levando ao empobrecimento e à degradação. Outras, em compensação, são sustentáveis e garantem longevidade ao solo.
As técnicas que agridem o solo geralmente são realizadas para produção de pastagens e para aumento da produção de forma não natural.
Entre elas podemos destacar:
- queimadas – consomem a vegetação local abrindo espaço para novas culturas;
- desmatamento – abre espaço para pastagem e é utilizada na extração de madeira para a indústria;
- adubação química – aumenta a produção em sistemas de monocultura e não proporciona a reposição dos nutrientes do solo.

As três técnicas acima citadas são responsáveis pela eliminação dos agentes decompositores e de animais que auxiliam a aeração. Isso ocorre porque o solo é exposto à luz solar direta e a substâncias químicas que agem como verdadeiros venenos à microfauna local.
Solos – como o da Floresta Amazônica – intimamente dependentes destas formas de vida tendem a sofrer desertificação, o que influencia drasticamente no clima e no ciclo da água da região.
O problema da erosão também é facilmente observado em solos que recebem técnicas inadequadas de cultivo, seja pela ação da água ou do vento.
Muitos dos desastres naturais que encontramos hoje em cidades serranas são derivados dessa perda de cobertura vegetal em encostas.


O assoreamento dos rios também é uma consequência de tais técnicas.

Dúvidas e sugestões: professorthiagorenno@gmail.com
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário